O que o Facebook não vai te contar

Por que é um problema para nossa privacidade?

O que o Facebook não vai te contar

Por que é um problema para nossa privacidade?

O WhatsApp aprisionou muitos usuários, que se tornaram dependentes dele, com a promessa de proteger a privacidade e dados pessoais. Quando esses milhões de usuários se inscreveram no WhatsApp, antes de 2014, ouviram repetidamente a promessa de que a empresa não pretendia coletar ou comercializar dados.

“O WhatsApp não coleta nomes, e-mails, endereços ou outras informações de contato do catálogo de endereços dos celulares ou listas de contato que não sejam números de telefone celular… Não coletamos dados de localização… Não vendemos nem compartilhamos suas informações de identificação pessoal (como número de telefone celular) com outras empresas terceirizadas, para uso comercial ou de marketing, sem o seu consentimento.” - Política de privacidade do WhatsApp, 2012

2014: Facebook adquire o WhatsApp.

  • “Não pretendemos mudar de forma alguma os planos em relação ao WhatsApp e a maneira como ele usa os dados dos usuários”, você afirmou. O WhatsApp continuará autônomo e operando de forma independente.” – Mark Zuckerberg
  • “Você pode contar que não haverá absolutamente nenhuma propaganda interrompendo a comunicação. Uma parceria entre nossas duas empresas não existiria se tivéssemos que abrir mão dos princípios fundamentais que sempre definirão nossa empresa, nossa visão e nosso produto.” – Jan Koum, ex-CEO do WhatsApp

2016: O WhatsApp mudou seus termos de privacidade para compartilhar informações pessoais de 1 bilhão de pessoas com o Facebook, oferecendo a todos os usuários um prazo de 30 dias para cancelar.

  • “Essa colaboração com o Facebook nos permite, por exemplo, obter métricas básicas em relação à frequência com que as pessoas usam nosso aplicativo e também conseguiremos ser mais eficazes no combate ao spam no WhatsApp.” Outro fato importante é que ao conectar o seu número de telefone aos sistemas do Facebook, você terá sugestões de amizade melhores e anúncios mais relevantes caso você tenha uma conta com eles.” – Um olhar para o futuro do WhatsApp
  • “Tais mudanças foram introduzidas em contradição a declarações públicas anteriores das duas empresas, que garantiram que o compartilhamento de dados jamais ocorreria.” – Grupo de Trabalho de Proteção de Dados do ARTIGO 29 da União Europeia

Desde 2016, o WhatsApp se tornou o principal meio de comunicação para 2 bilhões de pessoas em todo o mundo. Agora, o aplicativo compartilha uma grande quantidade de informações com o Facebook, algo que havia prometido que nunca faria, incluindo informações sobre as contas, números de telefone, registro de frequência e de tempo de uso do app, além de informações sobre interação entre usuários, endereços de IP, detalhes do navegador, idiomas, fusos horários, etc. Esta última incursão destacou como o compartilhamento de dados ocorre há anos sem o conhecimento da maioria dos usuários.

O WhatsApp agora é uma operação global de coleta de metadados.

img

Janeiro de 2021: O WhatsApp anunciou uma atualização dos termos de serviço e da política de privacidade para expandir as práticas de compartilhamento de dados com empresas para fins de marketing. Os usuários foram notificados de que o WhatsApp compartilhava uma grande quantidade de informações com outras empresas do Facebook, incluindo:

  • Número de telefone e outras informações fornecidas no cadastro (como nome)
  • Informações sobre o celular, incluindo marca, modelo e operadora
  • Endereço IP, que indica a localização da conexão de internet
  • Todos os pagamentos e transações financeiras feitas pelo WhatsApp

O WhatsApp também disse que pode compartilhar quaisquer outros dados cobertos pela política de privacidade, o que pode incluir contatos, atualizações de status, ocasião e tempo de uso do aplicativo, além de números de identificação exclusivos para os telefones dos usuários.

Nem todos os consumidores são tratados da mesma forma. O WhatsApp recusa-se a proteger a privacidade e os dados de todos os usuários com os mais altos padrões, ou seja, segundo o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD). O RGPD, um padrão dourado para a privacidade, proibiu esse tipo de coleta de dados dos residentes da União Europeia, mas o Facebook continua a espionar o resto do mundo. Os detalhes do tipo de dados de cidadãos não europeus coletados pelo WhatsApp e compartilhados com o Facebook estão escondidos em documentos formais que constituem os termos e a política de privacidade. Embora comprometa os interesses das pessoas na maioria dos outros países, a nova política de privacidade cria um sistema de duas camadas, pois não afeta os usuários localizados nos 27 países da União Europeia e no Reino Unido.

  • “Não há mudanças nas práticas de compartilhamento de dados do WhatsApp na região europeia decorrentes dos termos de serviço atualizados e da política de privacidade. Para evitar quaisquer dúvidas, o WhatsApp continua a não compartilhar os dados de usuários da região europeia com o Facebook para fins de uso dos mesmos dados para melhorar os produtos ou anúncios do Facebook” – Facebook, janeiro de 2021
  • “A mudança nos termos de serviço, e a exigência de que os usuários compartilhem informações com o Facebook, não vale para usuários do Reino Unido ou da União Europeia, e isso porque em 2017 meu escritório negociou com o WhatsApp para que concordasse em não compartilhar informações e contatos dos usuários até que pudesse demonstrar que cumpria o GDPR.” – Elizabeth Denham, Comissária de Informações do Reino Unido

img

Devemos evitar essa discriminação e urgir nossos reguladores a tomar uma posição rapidamente, fazendo oposição e interrompendo o fluxo de dados entre o WhatsApp e o Facebook. Aqueles que podem, estão deixando o WhatsApp em massa devido a preocupações com o aumento de táticas abusivas, mas muitos não têm essa opção.

Baixar como pdf