Carta aberta ao Sr. Zuckerberg

Carta aberta ao Sr. Zuckerberg

Caro Sr. Zuckerberg,

Nós, assinantes desta carta aberta, exigimos que você pare de intimidar as pessoas que dependem do WhatsApp com notificações para que aceitem as mudanças na política de privacidade do aplicativo. O Facebook deve restaurar imediatamente o direito individual de cada usuário de determinar como seus dados pessoais e privados são coletados e explorados pelo WhatsApp.

O modelo futuro de negócios do Facebook depende do aumento da integração de dados com o WhatsApp, o que beneficia os resultados financeiros da empresa às custas da privacidade dos usuários. O Facebook se mostra decidido a continuar explorando os dados do WhatsApp para avançar os próprios interesses comerciais e de marketing. Mais uma vez, o Facebook mostra que não é digno de confiança para salvaguardar nossa privacidade e dados pessoais.

A mais recente política de privacidade do WhatsApp foi anunciada pelo Facebook em janeiro de 2021, inicialmente programada para entrar em vigor em 8 de fevereiro do mesmo ano. No entanto, o forte clamor público forçou o adiamento da data e, pouco depois do anúncio original, o prazo mudou para 15 de maio. Agora, o Facebook optou por uma estratégia já conhecida: oferecer garantias sem modificar o texto da política, com a intenção de forçar a mudança de qualquer maneira.

Em 7 de maio, o WhatsApp anunciou um prazo vago de “algumas semanas” para a decisão dos usuários que ainda tentam proteger seus dados e recusam a mudança na política. Eventualmente, o aplicativo vai deixar de funcionar para eles. Enquanto isso, notificações constantes lembram a esses usuários para aceitar os novos termos ou deixar de usar o serviço e, com isso, perder a conexão inestimável com amigos e pessoas queridas. De acordo com o WhatsApp, a maioria dos usuários que já aceitou a mudança estará sujeita aos termos atualizados em 15 de maio.

O Facebook jura que ouve as preocupações dos usuários, mas até agora não tomou nenhuma ação significativa para reverter o aumento da coleta de dados. Apesar de vários apelos internacionais exigindo que o Facebook respeite a privacidade dos usuários, o plano revisado ainda prioriza as práticas exploradoras da empresa em detrimento dos direitos básicos à privacidade. Exigimos que você pare imediatamente de pedir aos usuários do WhatsApp que aceitem uma política de privacidade ultrajada e reverta o curso dessa estratégia que prejudica a comunicação global.